segunda-feira, 1 de junho de 2009

Linguagens de programação e sua evolução

Nos últimos 10 anos, pode-se observar que há pouquíssima evolução em termos de estruturas e conceitos na criação de linguagens, pois, apesar da abundância de linguagens, a sobreposição dos conceitos é muito grande.

Muitas das mudanças ocorrem em função da necessidade, percebe-se também que muitas linguagens não passam de pequenas ligeiras variações de uma linguagem base, como por exemplo, em Perl, Python, PHP, Java, C, C++, C# e Delphi que apresentam diferenças mínimas entre si e mudam a maneira de escrever determinadas construções, porém, sem alterar a semântica das mesmas.

Java e C#, linguagens em ascensão no fim dos anos 90 e começo do ano 2000, são linguagens de alto poder de abstração e com boas capacidades de virtualização, o que lhes conferem boas possibilidades de independência de plataforma, embora estas características ainda estão sendo melhoradas. Tem como vantagens, uma maior facilidade na criação dos programas, porém são programas mais lentos do que em C/C++ e vínculos de patentes com as empresas que as desenvolveram.

A vasta maioria das outras linguagens permanece estacionada em locais próximos às suas origens. Um exemplo é o Delphi, uma variante do Object Pascal, usada na ferramenta homônima da Borland. Depois de tornar-se uma linguagem orientada a objetos (o que aconteceu por volta de 1989), pouca coisa nova foi acrescentada à mesma.

O problema mais importante, hoje, na área de Linguagens de Programação, é o desenvolvimento de linguagens que aumentem a produtividade do programador. Linguagens que permitam escrever programas corretamente, facilmente e rapidamente. Esta é a razão do rápido crescimento de linguagens como Java, C# e Ruby.

Muitas das linguagens atuais (PHP, Python, Perl) optaram por tipos dinâmicos para ganhar flexibilidade e produtividade. PHP por exemplo, que é uma das linguagens mais usadas no mundo e como outras, saíram de sua infância procedural há relativamente pouco tempo. Outras, embora já tendo nascido orientadas a objetos, não acrescentaram nenhuma novidade ao conceito. Neste caso, Python e Java seriam exemplos típicos. Isso quer dizer que muitas linguagens estão repetindo um ciclo evolutivo que já é antigo.

Ciclos de processamento e tempo de computador são cada vez mais baratos; tempo de programador e criatividade são cada vez mais caros. Por isso, a tendência atual no mercado é favorecer linguagens de alto nível, menos otimizadas para a máquina, e mais otimizadas para o programador: linguagens como Perl, Python e Ruby, consideradas linguagens de programação de alto nível, com um nível de abstração relativamente elevado, longe do código de máquina e mais próximo à linguagem humana tem como vantagens maior facilidade de implementação e execução em relação ao Java e ao C#, uma desvatagem porém, é que são programas mais lentos do que em C/C++ .
Links Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário